Categoria(s): África: Seychelles, La Digue

Bate e volta para La Digue

Em fevereiro de 2017 fizemos uma viagem para a África, quando aproveitamos para passar 5 dias nas Ilhas Seychelles. Como tínhamos pouco tempo, optamos pela hospedagem na ilha principal – Mahé – mas fizemos um bate e volta para conhecer um pouquinho da ilha de La Digue, onde fica a praia mais famosa do país – Anse Source d’Argent.

Praia Source d’Argent

Saindo de Mahé

Para chegar até La Digue, pegamos primeiro um Ferry da empresa Cat Cocos, que saiu às 07:30h do porto de Mahé e chegou 1h depois na ilha de Praslin. Lá, pegamos um outro ferry para La Digue. Chegamos por volta das 09:30h. Esse segundo trecho leva apenas 15 minutos. Compramos os tickets na hora e não tivemos problemas.

Chegando em La Digue

A melhor maneira de explorar La Digue é de bicicleta. Logo que chegamos alugamos as nossas bikes por 300 rúpias para o dia todo, (aproximadamente 70 reais), e fomos conhecer a tão famosa praia Source d’Argent. Ela fica dentro do L’Union Estate Park, e é cobrado um valor de 100 rúpias para entrar. Dentro do parque há plantações de coco e de baunilha, um pequeno cemitério e as famosas tartarugas gigantes de Seychelles.

L’Union Estate Park
L’Union Estate Park

Explorando o parque passamos primeiro para ver as tartarugas, que infelizmente não ficam soltas, como na Curieuse Island, mas dá pra interagir um pouquinho com elas dando folhas pra comer e tirar fotos também, pois elas chegam bem perto de onde as pessoas ficam observando.

Tartarugas gigantes de Seychelles
Tartarugas gigantes de Seychelles

A famosa Anse Source d’Argent

Chegando em Source d’Argent, estacionamos nossas bikes e fomos explorar a praia, que tem grande extensão. Na entrada há um restaurante, mas nada muito confiável, pois as comidas e bebidas vão acabando ao longo do dia. Então na dúvida, melhor levar seu próprio lanche.

A praia é muito exótica, possui muita vegetação em volta e formações rochosas de granito. Quando fomos, a maré estava baixa e como a água é bem transparente, muitas algas eram visíveis. A praia estava rasa e havia muitos peixes grandes. Sinceramente, fiquei um pouco decepcionada com a cor da água, que em algumas partes tinha um tom um pouco amarelado. Não sei se foi por conta da maré baixa, do tempo parcialmente encoberto ou se é assim mesmo. Fato é que achei a praia bem mais bonita vista de dentro da água pra fora.

Praia Source d’Argent
Muita vegetação em volta da praia mais famosa de Seychelles
As formações rochosas de granito
Source d’Argent

Grande Anse – a mais bonita!

Saindo do parque fomos conhecer a Grande Anse, praia que apesar de ter o mar mais agitado, me agradou mais que a anterior. Pra chegar até lá pedalamos mais uns 4 km, quando quase morri de cansaço, devido as ladeiras que eu tive que subir (risos). Confesso que tive que descer da bike para conseguir terminar o percurso, mas valeu a pena. A praia possui uma pequena estrutura que conta com um bar, banheiros e chuveiro de água doce. É bem grande e estava quase deserta. Infelizmente não pudemos ficar muito tempo, pois tínhamos que pegar o ferry de volta pra Praslin.

Na minha opinião está praia é mais bonita que a Source d’Argent
Grande Anse
As formações rochosas de Grande Anse
Grande Anse
Todo o cenário é maravilhoso!

A conclusão deste passeio de um dia, é que fazer um bate e volta a La Digue a partir de Mahé não chega a ser uma má ideia, mas vale a pena ficar por lá por pelo menos umas 3-4 noites. Primeiro porque a ilha tem praias e paisagens lindas, que merecem ser exploradas com calma. Segundo que o fato de você se deslocar de bicicleta faz do passeio uma experiência diferente, de muita conexão com a natureza e terceiro porque o ticket dos ferries é muito caro. Pagamos algo em torno de 160 euros pra ir e voltar (cada um). Enfim, não me arrependi de ter feito a daytrip, mas fiquei com vontade de ter ficado mais um pouco.

Deixe seu comentário